quinta-feira, 8 de julho de 2010

Spoilers, i hate

Realmente, odeio. A graça de apreciar uma história num livro, numa tela ou numa roda de amigos, é você NÃO SABER o que vai acontecer. E não me refiro apenas ao desfecho da coisa em questão. No meio da trama, acontece coisas inesperadas que te prendem a trama, que chamam a sua atenção e assim faz com que nós gostamos ou não do que nos é proposto. Uma vez que já sabemos do que se trata, perde-se a "magia" do mistério, a curiosidade que move a humanidade a buscar conhecimento, desde a época de Barney e cia. Ou você acha que os povos antigos, que adoravam(ou adoram) estrelas, animas e eventos naturais, o fariam se soubesse que a chuva é resultante de vapor de água e o sol é uma bola de fogo gigante?

Uns exemplos recentes. O blockbuster 2012. Não vou entrar no mérito do filme, se é bom ou ruim, apenas a parte que diz respeito aos trailers do filme. Quem assistiu todoas as 'propagandas' e depois viu assistiu o longa, deve ter notado que 99% das cenas foram mostradas antes do filme ser lançado. Raríssimas as cenas eram "inéditas" para quem assistiu. Como a cena do Cristo Redentor, onde a parte do trailer é maior que a do próprio filme!

Outro exemplo. Salt, com a Angelina Julie. Só vendo o trailer eu já sei que ela é uma agente federal, está interrogando um prisioneiro que diz saber o nome de um(a) espião russo e que pretende matar o presidente. Começa então a fugir para tentar provar sua inocencia. Isso tudo, num trailer! Se já não bastasse saber isso tudo, assisti "sem querer" outro trailer, com mais informações ainda.

Se eu fosse otimista, diria que há mais conteúdo por trás, que "isso tudo" é apenas uma parte do filme, mas não é o que geralmente acontece, como o já citado 2012.

O problema é que o buraco é bemmmm mais embaixo. Isso é apenas uma pequena parte de como a "informação" é consumida nos dias de hoje. É tudo mastigado, nada mais requer um pensamento ou uma análise do que está sendo posto na sua frente. Talvez um efeito colateral da facilidade com que se consegue essa mesma "informação". Eu já prefiro analisar o que me é proposto, e acho que cheguei em um nível perigoso de "crítica", mas isso é assunto pra outro post.


Enfim, eu provavelmente devo virar um velho resmungão.

Um comentário:

Clarissa disse...

hihi
concordo plenamente com vc... benditos trailers que estragam nossa emoção e suspense.
E em pensar que eu vou ser a velhinha de óculos da cadeira só que sem o cachorro no colo.
beijoos